13 março 2014

Aprisionada

Há muito que o apelido ficou preso no arame farpado. 
Sente-se aprisionada numa relação nefasta. Procura forças para fugir. Desaparecer para um lugar longínquo onde não se sentisse massacrada, violada no deu ser. Ambiciona ser ela própria. Tem medo. De recomeçar. Dizer não e partir. Construir outra vida onde a sua existência faça sentido. Resiste. Fica! Pensa nos filhos. Acha que vêem a relação dos pais como exemplo de felicidade e sucesso. Será mesmo assim?! Ou engana-se?!

Isabel Pinto, 47 anos, Setúbal

Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)

Sem comentários:

Enviar um comentário