01 janeiro 2013

Desafio nº 30

Vamos começar o ano com provérbios, pode ser?

Será mais engraçado usarmos todos o mesmo, para podermos ver como as mesmas palavras servem para construir textos tão diferentes…

O que vos proponho então é o seguinte

O provérbio a usar é este:
Bom saber é o calar, até ser tempo de falar.

Agora, alinhando à esquerda o provérbio, completamos o texto, assim (o número de palavras por linha é o que se precisar, claro):

Não, escusas de insistir, não
solução, acabou-se.
Mal percebi
Que andavas assim,
Sempre com olhinhos de carneirinho parvo, percebei: não tenho paciência que
Dure o tempo suficiente para te aturar,
Nem quero ter de te partilhar com aquela bola de pêlo.
Bem podes chorar, não me afecta. Quero
Que sejas muito feliz, ou coisa parecida,
Não quero é ficar a ver.
Se tiveres saudades minhas, chora. Talvez a estúpida gata
Acabe por te deixar em paz!
Margarida Fonseca Santos, 54 anos, Lisboa
Desafio nº 30 – provérbio à esquerda na folha imposto


5 comentários:

  1. Acabei de te mandar e já publiquei! beijos,chica FELIZ 2013!

    ResponderEliminar
  2. Já publiquei, minha super colaboradora! Um grande beijinho, Bom Ano!

    ResponderEliminar
  3. Tive acesso a este blog através de uma amiga e acho a estrutura muito interessante! Vou ver se participo nalgum desafio!... Já agora deixo aqui o endereço do meu blog se quiserem fazer uma visita: www.bolas-desabao.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sónia! Venha daí, é divertido e vamos ficando amigos. Vou ver com certeza o seu blogue.
      Um grande beijinho
      Margarida

      Eliminar
  4. Sou Belga , vivo em Antuérpia ,achei um desafio engraçado para fazer e embora não tenha as capicidades de alcançar um bom resultado ,vou tentar .

    Bom saber é o calar, até ser tempo de falar.


    Bom
    momento para revelar a minha abdicação, pensou o rei Alberto num dia solar, e convidou todos os ministros do governo para irem ao palácio de Belveder em Bruxelas.
    Saber
    como ter de dar adeus a população é a minha única preocupação, assim anunciou o rei belga o seu pedido de abdicação aos espantados ministros.
    é
    não o momento favorável, murmurou cautelosamente o primeiro-ministro assustado no ouvido real
    O
    rei olhou mal disposto para o primeiro-ministro e gritava de olhos esbugalhados, mas caro Élio, estou na casa de oitenta, só quero ser rei aposentado.
    Calar
    sobre a minha incapacidades de funcionar perante os meus súbditos, não é uma opção para mim.
    Até
    o meu último suspiro Rei! Nem pensar nisso.
    Ser
    rei dos belgas é uma atribulação tanto em neerlandês tanto em francês, e com estas palavras acabou a tirada régia.
    Tempo
    traz conselho, apaziguou o ministro da saúde o rei.
    De
    expressão desanimada, o nosso amado soberano sentou -se no seu trono e pensou:
    Falar
    bem, não custa muito e muito vale, em breve estou reformado e posso gozar de repouso bem merecido junto com a minha " Dolce Paola"








    ResponderEliminar