23 setembro 2015

Ilha dos Velhos Pescadores

Na maré vazia apanhava o isco e vazava-o no balde.
Depois, entusiasmado até aos ossos, lá ia para o molhe do Vazadouro. Lançava as canas, acendia uma cigarrilha,  esperava…
Uma vez não voltou. Os amigos, no meio de enorme vozearia, procuraram, chamaram… mas só as tralhas estavam no molhe. Do Vaz, nem sinal.
Dizem que o mar, vezeiro nestas maldades, o levou na vazante.
Talvez… mas uma sereia o salvou. Vive agora na ilha dos Velhos Pescadores.

Domingos Correia, 57anos, Amarante

Desafio nº 96 – palavras com Z e V

Sem comentários:

Enviar um comentário