03 março 2015

Quieta Desistência

A minha mãe morre ao pôr de um sol que a tinge de tom rosa suave, num momento que atinge as margens da perfeição, numa quietude de desistência.
Por um momento, observo-a com as mãos dolentemente entrelaçadas, depois chamo a atenção da minha irmã, fazendo-a notar a morte da mãe, mas ela, dolente, mente entre laçadas nervosas da camisola que tece para prenda de Natal:
– Está a dormir. Vais ver que logo acorda.
Sorrio, fingindo que acredito.

Quita Miguel, 55 anos, Cascais
Desafio nº 85 – expressões homófonas

Mais histórias aqui: http://quitamiguel.blogspot.pt/

3 comentários:

  1. Gostei muito da "melancolia triste" deste pequeno texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, um texto profundo que mexe connosco. Bjs gds

      Eliminar
    2. Gostaria de o ter escrito... ;)

      Eliminar