22 outubro 2014

Nostalgia

Esquecida de si, deambulou pela aldeia. Paisagem verde; horizonte sem fim. Sentia-se menina, irrequieta e alegre; sozinha descobria o mundo. Experimentando coisas novas; boas. O sítio da vereda era o seu preferido. Nele, inventava histórias, transformando-se dentro e fora.
Hoje, recorda esse tempo com nostalgia e saudades. Esse lugar de infância desapareceu (ou será ela, agora, incapaz de o sentir desse modo?). Reconstruídas as memórias, resta o sentimento estranho de uma criança que já não existe (existiu?).

Isabel Pinto, 47 anos, Setúbal

Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias

Sem comentários:

Enviar um comentário