21 julho 2014

Saudades

Enveredou sozinho pelos ramos emaranhados da floresta, esquecido já das saudades que deixara fora, atiradas bruscamente para a orla do caminho. Experimentando a doce sensação de que o passado ficava longe, lançado em passadas reconstruídas sobre a promessa de um futuro diferente, deambulou horas infindas num silêncio que lhe pesava nos ombros, um silêncio quebrado apenas pelo desfalecer do corpo anos mais tarde, sobre as folhas secas de Outono, junto à vereda perene que o conduzira ali.

Marta Trindade, 16 anos, Lisboa
Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário