24 julho 2014

Fora de tudo

Sentia-se fora de tudo quanto conhecera. Esquecido de si, experimentando sensações desusadas, deambulou por aqueles caminhos que conhecera tão bem. Tão diferentes. Apenas a fonte permanecia igual. Recordava outras emoções quando, jovem, havia música nas vozes das crianças. Ouvia-as ao longe, alegres pela vereda que levava às searas da aldeia. Abriu os olhos e já não estava sozinho. Os pássaros tinham descido sobre as suas mãos rejuvenescidas, reconstruídas pelo amor em que as saudades se tinham transformado.

Paula Coelho Pais, 53 anos, Lisboa
Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário