13 março 2014

Presente

Recorda-se, como se fosse hoje, da "melhor prenda de sempre": uma boneca. Até aos 7 anos não tivera brinquedos. Desejava tanto aquele. E nesse Natal o pai ofereceu-lho. Presente fugaz. No dia seguinte, embriagado, ele destrói-lho em pedaços. Nada restou.
Esta situação marcou-a para sempre: não gosta de receber prendas, mas gosta de oferecê-las aos amigos. Às vezes, ficam perdidas pela casa, esquecidas no tempo e na memória de quem lhas ofereceu. Apesar desta situação amou-o sempre.

Isabel Pinto, 47 anos, Setúbal

Desafio nº 61 – palavra sim, palavra não começada por T

Sem comentários:

Enviar um comentário