22 março 2014

O bule e a xícara

O sol expiava pela fresta da janela.
O brilho do seu olhar borbulhava  na prateleira um rastro de luz
esquecido  na areia do tempo
Num  andar da prateleira acordava o bule sonolento
Esbravejando, culpando a xícara
– Preguiçosa! Não intui ninguém mais a beber um delicioso café!
A xícara esfregando seus olhinhos cansados do abandono, retruca:
– Culpado é você bule enfezado!
– Ninguém vai querer  colocar café num bule enferrujado
Virastes peça de museu e disso já se esqueceu!

Ângela Maria Green, 56  anos, Novo Horizonte – SP – Brasil

Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam

Sem comentários:

Enviar um comentário