21 maio 2013

Caminhos

Procurou o rasto dos dias felizes.

Uns disseram-lhe que seguisse os trilhos que pareciam terminar onde o sol se levantava; lá, voltaria a nascer. Outros aconselharam a voar até ao local onde o sol sorria; assim, poderia explodir de alegria.  
Apesar de saber que a felicidade estava ali, no sereno leito que a envolvia - bastaria um simples toque e as pequenas ondas amavam-na -, a gota de água preferiu a aventura da descoberta dos caminhos; desfazer-se ao nascer.  

Bau Pires, 50 anos, Porto

4 comentários:

  1. Fico sempre pasma com o que aí por dentro anda Bau!

    Alexandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizemos o mesmo de si, Alexandra, não dizemos? pois...

      Eliminar
  2. hahahaha Margarida, vou graciosamente aceitar o elogio! :)

    Alexandra

    ResponderEliminar