10 março 2013

Esperei por ti


É inverno e o sol é triste e frio e tu sem teres vindo
Esperei por ti como sempre e o vento soprou nos ciprestes
No escuro do céu perdi o norte e dormi por ser noite dentro de mim
O meu corpo dorido vestido de medo sonhou novos portos
Como descobrimento histórico do teu sem que tu viesses
Foste por novos mundos seduzir outros mistérios
Percorrendo entre lençóis de linho e de luz um novo querer.

Alda, Porto, 45

2 comentários:

  1. Margarida a primeira frase é apenas o titulo. Se a considera no texto ultrapassamos as 77 palavras!!! desculpe tê-la induzido em erro. Bjinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não induziu nada, foi trapalhice minha, vou já mudar... Bjs grandes!

      Eliminar