26 fevereiro 2013

Na areia branca


Na areia branca, onde o tempo começa, o sol brilha!
O mar azul e salgado salpica os meus pés… e eu fico feliz! O barulho das ondas acalma os meus pensamentos e eu permaneço, ali, a olhar para o infinito.
O que será que há para lá da linha do horizonte? Um tesouro? Uma ilha fantástica, com animais extraordinários?
Haverá, de certeza, tudo o que a minha imaginação quiser. E hoje, apetece-me ver amores-perfeitos de muitas cores…

3º B da EB1 nº 3 de Viseu – Massorim (professora Filipa Duarte)

Na areia branca, onde o tempo começa, in As Palavras Interditas, de Eugénio de Andrade
Amores-perfeitos de muitas cores, in Ou isto ou aquilo, de Cecília Meireles

3 comentários:

  1. Que bonito!
    Podemos sempre ver o que queremos... basta sonhar!

    Beijinho!
    Cátia Silva

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Cátia Silva, por me dares a conhecer este cantinho!

    Beijinhos

    Filipa Duarte

    ResponderEliminar