04 setembro 2012

Amora/aroma


Deteve-a a foto sorridente na montra e as unhas confiantes exibidas. Verniz tom de amora.
Comprou o produto miraculoso convicta dos seus poderes especiais.
Podia jurar sentir, de antemão, os efeitos pretendidos. Era um ligeiro endireitar de ombros, um sorriso desdenhoso nos lábios.
Sentou-se, majestosamente, dando início a um novo ritual. Pintou, uma a uma, as unhas esguias. Deixou-as secar, pousadas, na saia colorida.
Fez a mala, fechou a porta, silenciosa.
Na rua, havia aroma a liberdade. 

Lena Pacheco, Funchal, 31 anos

Sem comentários:

Enviar um comentário