13 janeiro 2018

Theo De Bakkere ― desafio 63

Amora-preta
A descida estava íngreme, e na sua petulância juvenil não dava ouvidos a avisos dos amigos ciclistas. A estrada descendente dava-lhe a sensação cativante de ter asas, porém perdeu numa curva o controlo e chocou com as barreiras. Durante dois segundos voou, braços muito abertos como o Cristo Rei de Almada, e terminou, assim escapando por um triz do abismo, numa silva. Como não ocorreu um acidente, anunciava laconicamente aos amigos inquietos: "Aqui crescem deliciosas amoras-pretas ".
Theo De Bakkere, 65 anos, Antuérpia Bélgica
Desafio nº 133 ― cair nas silvas


Sem comentários:

Enviar um comentário