05 dezembro 2017

Celeste Bexiga ― sem desafio

Procurei por todo o lado, só a encontrei a brincar perto da fonte, o garrafão da água lá estava, já cheio, há espera que a brincadeira acabasse.
Quando chegámos a casa, Ana foi como de costume por a água ao lume para fazer a sopa. Nessa noite, era uma noite um pouco especial. O pai vinha a casa fazer uma visita. 
Trabalhava longe, vinha matar saudades da mulher e da filha, que já não via há três meses.
Celeste Bexiga, 68 anos, Alhandra


Sem comentários:

Enviar um comentário