22 abril 2017

Theo de Bakkere ― desafio escritiva nº 19

Um maço de poemas
Queria ressurgir como um maço de poemas, escrito na língua materna de Camões de qual sou amante. Além, nas terras lusófonas, encontrarei sempre um leitor ou um ouvido dócil que tal prosa saiba
apreciar. Pois esses poetas são os heróis, pertencendo ao orgulho nacional.
Poemas deslumbrantes que muitos sabem de cor ou foram imortalizados pelos fadistas.
Eh! Alguém abrira uma das minhas páginas e declamava entusiasta:
"Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal."
Theo de Bakkere, 64 anos, Antuérpia, Bélgica

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos

Sem comentários:

Enviar um comentário