24 abril 2017

Carla Silva ― desafio escritiva nº 19

A caneta
A escuridão invadiu-a novamente.
― Amanhã, será amanhã.

Assim alimentava a esperança de ser útil novamente. Desde que a velha senhora adoeceu que foi atirada para ali, como uma caneta vulgar. Mas ela sabia que não era!
Sentia a tinta dentro dela, fresca, fluída, sem verter uma gota. Pronta a escrever as cartas ao amor da velha senhora que nunca regressara.
Quando recordava esses dias, e apenas aí, permitia-se verter uma pequena gota da sua preciosa tinta permanente. 
Carla Silva, 43 anos, Barbacena, Elvas

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos

Sem comentários:

Enviar um comentário