07 março 2017

Esperança e Decepção

Lá por morar na Rua do Prior, ao fundo, não se obrigava a correr as capelas para saber dos arrumos na mercearia recebida do avô. Zé Júlio, preferia ser caixeiro-viageiro, lançar-se ao mundo. Mas não,
vivia amarrado ao fixado negócio.
Após um almoço, subia a rua e subia uma alarde algazarra...
Que é, que não é ― a mercearia roubada!
Pasmo e alívio... Seria agora a escapadela.
Mas não, de novo. O seguro do avô cobria os prejuízos!!!
Elisabeth Oliveira Janeiro, 72 anos, Lisboa

Desafio nº 116 – Zé Júlio sem T nem H

Sem comentários:

Enviar um comentário