07 março 2017

Amélia Meireles - desafio nº 116

Na Rua do Prior, começava mais um sábado de labor cercado pelo sol que não se apressava a surgir. A rua desembocava na famosa loja do Zé Júlio que, dizia-se, fazia os cálculos à sua medida. Na vila,
sendo a única mercearia com café, movia uma freguesia diversa. Miguel, cansado de ser enganado, naquele dia resolveu vingar-se. Fazendo-se passar pelo fornecedor, parou o carro e, fingindo descarregar a mercadoria, suprimiu o que pode e zarpou para bem longe…
Amélia Meireles, 63 anos, Ponta Delgada
Desafio nº 116  Zé Júlio sem T nem H

1 comentário:

  1. e os ladrões propagaram-se...ahahahahah. sempre este dilema da justiça justa...

    ResponderEliminar