17 setembro 2016

O meu mundo

Encontravam-se à noite, no mesmo lugar de sempre. Enquanto esperava, recordava a primeira vez.
A mesa do bar onde se sentara, os olhos que ao cruzarem se incendiaram. Proibidos. Estava acompanhada... do marido.
Era casada. Éramos amantes. Amávamo-nos.
O destino tem destas coisas, estes acasos, amores, talvez infelizes mas inevitáveis.
No rosto dela continha o mundo. O meu mundo. Rostinho redondo e alvo, carinhosamente adornado por um nariz mediterrânico.
A boca húmida...  encarnada sede de meus lábios.

Cláudio Cordeiro, 34 anos, Mortágua, Viseu

Sem comentários:

Enviar um comentário