19 setembro 2016

Naquele tempo, a história era outra

Naquele tempo, a história era outra: uma fantasia de adolescente, o ser rebelde, acabava mal. Quis fazer-se valente, o Eduardinho! No recreio, ousou imitar o professor. Seguiram-se risos e mãos tapando a boca.
Sempre de ponteiro na mão, o professor aproximou-se do aluno amedrontado e avançou raivoso, dizendo: – Venha cá, seu malandro!
O aluno recuou. Como predador e presa, ambos correram, às voltas, pelo pátio. Pouco depois, o professor parou, ofegante. O aluno tinha-se escapulido escola fora.
Isabel Sousa, 64 anos, Lisboa.

Desafio nº 2 – “Sempre quis ser uma história”, palavras obrigatórias por ordem inversa

Sem comentários:

Enviar um comentário