23 setembro 2016

Meu Sol

O que eu sinto por ti,
É bonito como o sol,
Tu és o meu colibri,
Meu docinho de mentol!

No céu cinzento ou negro,
O ouro do teu fulgor
É o meu doce sossego,
É todo o meu resplendor!

Se o meu peito dorido,
Sente um enorme tremor,
É porque estou reprimido,
Porque sem ti sinto dor!

Neste preciso momento,
Sem ti, eu quero morrer…
És meu mel e meu fermento,
Sol quente do meu viver!
Maria do Céu Ferreira, 61 anos, Amarante

Desafio RS nº 39 – história de amor sem A!

3 comentários: