26 setembro 2015

Viera!

A lua brilhava com clarão enorme a iluminar a rua.
Ouviu a porta a bater. Depois, o silêncio. Alguém entrou ou saiu? Estranho. Não se ouvia um passo, uma palavra ou sussurro que fosse. Terá a porta ficado aberta por esquecimento e o vento fechou-a? Súbito, lembrou-se das palavras dele à tarde e correu para a janela na ilusão de ainda o ver. Apenas viu uma sombra a esgueirar-se para o passeio. Viera! E não falara.

Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 52 anos, Coimbra/Ovar

Desafio nº 94com clarão, porta a bater e ilusão

Sem comentários:

Enviar um comentário