21 setembro 2015

Velha poltrona

Costumava sentar-me naquela poltrona herdada dos meus avós. A velha poltrona onde se aninhava Lancelote, o gato amarelo que eu afagava nos dias frios de inverno. Junto à lareira, a poltrona ainda vistosa e confortável permitia longas horas de leitura. Muitos passaram por ali. Lembro-me do meu avô a fumar cachimbo, a minha avó a tricotar, o meu pai a dormitar.
Já não tem vida, restam-lhe as memórias e as ervas daninhas que a aconchegam no jardim.

Fátima Veríssimo, 54 anos, Seixal

Desafio nº 98 – fotog de P Teixeira Neves

Sem comentários:

Enviar um comentário