14 setembro 2015

O sorriso de minha mãe

Um sorriso da cor da ternura ou, talvez, da madrugada. Um sorriso transparente. Único. Irrepetível.
Um sorriso mais bonito do que um poente que tinge um horizonte de outubro. Mais bonito do que a brisa que despenteia a manhã e que uma rosa vermelha no entardecer de maio. Mais bonito do que a música de um oboé e que o doirado que veste as folhas de cada outono.
Um sorriso mais bonito que o desfolhar do silêncio!...

André Maia, 36 anos, Billings, Estados Unidos
Desafio nº 26 – dedicatória para alguém
Mais textos aqui: http://retratosapretoecinza.blogspot.pt

Sem comentários:

Enviar um comentário