13 setembro 2015

Férias forçadas

Foi naquela manhã, depois do almoço familiar, a olhar para a cozinha repleta de pratos, vasos e panelas sujos à sua espera, cheia de calor e cansaço, com o dia ainda por organizar (fatos de banho, toalhas e sandes), os filhos já envolvidos numa nova e absurda discussão e o marido ainda na cama, a descansar, que deixou cair uma lágrima e odiou com todas as forças essa versão livre dos trabalhos forçados que se chama férias.

Jesús del Rey, 46 anos, Salamanca, Espanha
“versão livre dos trabalhos forçados que se chama férias”  do conto “A Islândia” - Luísa Costa Gomes
Desafio nº 15 – com frase retirada de um livro



Sem comentários:

Enviar um comentário