23 setembro 2015

Ainda hoje

Uma casa desbotada pelo tempo, que se assemelha tanto a uma outra onde ainda pulsa o amor. Não é que seja habitada mas, volta e meia, enche-se de animação sobretudo na noite de Natal, onde a mãe, pessoa muito idosa, congrega à sua volta três gerações. Foi sempre uma casa cheia, onde a par da alegria e do bulício, momentos de infortúnio houve que foram superados com elevação. Ainda hoje o sorriso acolhedor da mãe opera milagres.

Emília Simões, 64 anos, Algueirão-Mem-Martins

Desafio nº 98 – fotog de P Teixeira Neves

2 comentários:

  1. Olá Margarida,
    Muito obrigada por ter publicada a minha história.
    Vou também publicá-la no meu blogue.
    Beijinhos e um óptimo dia.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Publique, publique, não o perca!
      Um grande beijinho, resultou muito bem.

      Eliminar