22 setembro 2015

Abandono

– Não – murmurou Zarco para si próprio. – Não voltarei aqui.
Num último olhar, viu a filha aconchegada no sofá, que não cabendo na porta passara a integrar o jardim. Os olhares cruzaram-se por breves instantes, mas nem isso o detivera. Tinha uma vida para viver.

Agora, cansado de dormir em quartos que não o acolhiam, regressara, dando-se conta das marcas que o tempo escrevera. Sentado no sofá, reconheceu-o como parte de si, ambos votados ao abandono. Estava só.

Quita Miguel, 55 anos, Cascais
Leiam outros textos aqui: http://quitamiguel.blogspot.pt/

Desafio nº 98 – fotog de P Teixeira Neves

Sem comentários:

Enviar um comentário