08 março 2015

Florinda

Florinda, minha avó, faria 95 anos. Nunca viajou, mas guardava um florim. Excecional, linda, mas sofreu com os seus... Da minha mãe? Dizem que ainda é bonita, mas tem sofrido com a vida... De mim? Especial, mau feitio!, mas olhos bonitos... Não posso lamentar-me porque outros sofreram para me dar tudo.
Todas bonitas! Especialmente hoje, belas, imprescindíveis, inteligentes...
Recordo o florim da minha avó.
Porque sinto que, à volta de cada mulher, o mundo anda todo distraído?!

Fernanda Gomes, 46 anos, Lisboa

Desafio nº 85 – expressões homófonas

Sem comentários:

Enviar um comentário