19 dezembro 2014

O vão do existir

Refém do passado,
Correntes se arrastam,
Escrava do medo...
O que se fizera do que fora?
E o que fora?
Algumas repostas, se é que existem, são trancafiadas no limbo da alma. Por essa razão, e por outras de certo, aquela figura arredia, entre assustada e assustadora, nada fala. Encerrou-se em silêncio quem sabe desde outras vidas. Tal como as vestes, e o apelido que ficou preso no arame farpado, foi feito da fala, do quase existir.

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil
Desafio nº 60 – apelido preso no arame farpado (frase obrigatória)


Sem comentários:

Enviar um comentário