17 dezembro 2014

Doce esquecimento

Sentiu-se tonta, talvez culpa do sol. Cabeça rodando, vista escura, ar rarefeito. Tombou bem a beira da estrada.
Foram-se os sentidos, corria perigo assim. Paulo, impulsionado tomou-a nos braços rapidamente. Parecia uma frágil boneca de louça. Tão lívida, era encantadora, delicada, bela. Depois daquele dia a vida mudara. E tudo graças à amnésia contínua. Juntos descobriram que podia dar certo. Unidos inevitavelmente, dois se tornara um.
Destino? Talvez...
Quem vai saber...
Alguns encontros inexplicáveis duram para sempre...

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil
Desafio nº 32 – 11 frases se 6 palavras + o que resta


Sem comentários:

Enviar um comentário