15 novembro 2014

O homem que foi

Vi-o hoje.
Parecia muito cansado.
O vil tempo abateu-o.
Não teve piedade do coitado.
O tempo não escolhe nenhum ser.
Nem árvores que usam a inteligente serenidade.
Só o pó persiste talvez pela inútil qualidade.
O tempo, na verdade é um relógio, máquina macabra,
Que fere a vida sem regulação superior e sem mentor.
O homem, na verdade, só na matéria foi vencido pelo tempo,
Na memória, da gente, é o homem que foi e todos conhecem. 

Constantino Mendes Alves, 56 anos, Leiria

Desafio nº 71 frases de 2 a 12 palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário