24 novembro 2014

Na dor

Quero falar, não falo! Ainda que queira dizer algo, nada digo.
Vou lembrar-me! De quê... o que dizer?!
Um breve olhar, envolve a vida... abrange uma nova medida.
Energia adquirida... feroz, vai diluindo a qualidade.
Mundo que mexe na dor humana, um a um... invadindo a liberdade de viver.
Rendida à dor, vai naufragando num mar longínquo... onde não há fim.
Alegria de viver faz vibrar. A magia do amor... reage e ganha!

Manobra bombardeada em dor.

Prazeres Sousa, 51 anos, Lisboa
Desafio nº 78 – escrever sem C P S T

Sem comentários:

Enviar um comentário