20 novembro 2014

Na aldeia

Na aldeia onde morava e vira a luz do dia, o velho relógio da igreja badalejava que a manhã abeirara.
A aurora deixava adivinhar um dia bem agradável!
Abriu a janela e olhou em redor. A luz inundara a varanda e a flor da amendoeira afagou-lhe o olhar! Lá em baixo o rio, rodeado de grama, banhava a lezíria! Um barquinho à vela navegava devagar!
Olhou de novo e aferrolhou a janela! Lá fora, o dia aguardava-a! 

Emília Simões, 63 anos, Mem-Martins (Algueirão)
Mais histórias aqui: http://ailime-sinais.blogspot.pt/
Desafio nº 78 – escrever sem C P S T

6 comentários:

  1. Beleza de história! Linda inspiração,Ailime! Adorei! bjs, tudo de bom e hoje a Margarida nos quebrou a cuca,rs... beijos às duas,chica

    ResponderEliminar
  2. E verdade Chica! Hoje doeu para valer! Bjs e obrigada. Ailime

    ResponderEliminar
  3. que lindo que ficou! pude imaginar a bela cena! deu vontade até! um beijo daqui do Amapá , Brasil!

    Rose

    ResponderEliminar