15 novembro 2014

Fazer sentido

Sara encontrava-se novamente embrenhada nos seus pensamentos. Acontecia-lhe muitas vezes! Adorava sentar-se numa esplanada ou então observar o infinito do mar, sentir o cheiro a maresia e acertar os desencontros interiores.
Ao surgir algo alheio à sua rotina, quando o mundo desabava nos seus ombros e o desespero assolava o seu coração, Sara encontrava no mar a paz necessária.
Hoje nada a acalmava, nem as ondas, nem o cheiro a mar… a vida deixara de fazer sentido!

Fátima Sousa

Desafio nº 18 – palavras proibidas: não que mas pois como verbos: estar + ser

Sem comentários:

Enviar um comentário