30 novembro 2014

Amores imperfeitos

Conheceram-se  novos. Treze anos.  
Assumiram seus sentimentos.
Entretanto ele conheceu outro alguém, apaixonou-se. Sentimento recalcado.
Cumprido o serviço militar, casaram.  Tudo reflectia  amor excepto o seu subconsciente.
Foram pais duma menina.
Bênção partilhada.
Acabaram separados. Culpa dos dois, ou de nenhum!
Ele casou-se com a outra paixão, já era viúva. Mas... não deu certo.
Entregou-se à bebida, é infeliz.
Elas tornaram-se amigas. Vivem a mágoa do destino que o perdeu.
Foram quase felizes, num sempre muito pequeno!  

Rosélia Palminha, 66 anos, Pinhal Novo

Desafio nº 79quase felizes, num sempre muito pequeno

Sem comentários:

Enviar um comentário