28 outubro 2014

Sem O no Teclado

Desde tenra idade, que admirava a menina de tranças pretas. Tinha uma carinha bem gira, linda a valer!
Mais tarde na primária, já a pensar que eram grandes, retraiam-se, passavam indiferentes, mas a beleza dele e dela, atraiam-se.
Certa tarde em que brincava na esplanada da pastelaria, Daniel discretamente, entrega-lhe uma margarida.
Ela chama-se Margarida.
Ainda guarda essa terna lembrança.
Há dias cruzaram-se na rua. Decidiram ver um filme. 
Surpresa!
Ele leva-lhe margaridas!
Imaginem a sua felicidade. 

Rosélia Palminha, 66 anos, Pinhal Novo

Desafio nº 76 – escrever sem a letra O

Sem comentários:

Enviar um comentário