22 outubro 2014

Eternidade e letra

Escrever sem essa letra quarta, prima da esfera, inteira e gritante?
Tarefa magnífica!
Cantava, dançava, crescia mulher….
Estar era ser. E era verde, e era terra, e era água.
Queria pele, queria ar, queria vida. Em si, sempre em si.
Esmeralda sussurrada. 
Mas faltava essa área limitada, que nada era, mas que a eternidade cumpria.
Escrever sem essa letra quarta, amante da lua, em seu prenhe estado de mulher e mar?
Tarefa sem sangue. Dia sem vida…

Fernanda Elisabete Gomes, 58 anos, Lisboa  

Desafio nº 76 – escrever sem a letra O

2 comentários: