17 outubro 2014

Correste, correste…

És tão parva… querida! Dizias que ias correr mundo, procurar o local onde viver, não percebias como podiam as pessoas ficar confinadas ao espaço em que tinham nascido sem nunca procurarem outros horizontes, outras pessoas, outros modos de estar e ser. Partiste e eu fiquei. És tão parva… Correste, correste… eu esperei. Afinal, viste o mundo, voltaste! És tão parva… não sabias que a melhor casa fica sempre no espaço entre os braços de quem nos ama?

Fernanda Ruaz, 66 anos, Lisboa

Desafio RS nº 18 – frases repetidas no texto

Sem comentários:

Enviar um comentário