23 julho 2014

Saudades nebulosas

Saudades nebulosas, o sonho deambulou dentro de mim, fora. Prados entre colinas verdes, uma vereda infinita e ao horizonte andavam manadas quase invisíveis para os olhos.
Experimentando o relvado, sentei-me na berma para contemplar sozinho os arredores vivos.
Ao mais leve rumor passarinhos ergueram voo, insetos em busca de néctar zumbiam em volta de mim.
esquecido momento de identificação entre homem e ambiente. Ou eram só as memórias reconstruídas da fauna abundante antes da intervenção humana. 

Theo De Bakkere, 61 anos, Antuérpia, Bélgica

Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário