21 julho 2014

Pesado fingimento!

Nunca a tinha esquecido ao longo desses longos e tão penosos anos, em que vivera sozinho experimentando o sabor amargo da solidão e das saudades. Fingiu ser feliz sem ela. Pesado fingimento o seu!
Deambulou pela vereda demasiado estreita, asfixiante mesmo, em que se tornaram os seus dias e com tristeza admitiu ter perdido demasiado do que afinal é importante e dá sentido à vida. Reconstruídas as memórias, concluiu que era impossível deitar fora tão intenso amor.

Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 51 anos, Coimbra

Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário