27 julho 2014

Não há direito

Não é aceitável o que o governo está a fazer ao reiterar não vacilar em relação aos descontos aos funcionários do estado. Partindo deste princípio, amanhã não vai haver dinheiro para um copo de leite, e o pior é que não vai tudo a eito, segundo este conceito são os pobres que pagam a maior fasquia. Ontem debrucei-me no parapeito e senti-me mal, fui de imediato para o leito, sonhei que o ministro não será mais eleito.

Maria Silvéria dos Mártires, 68 anos, Lisboa
Desafio nº 67 – 8 palavras com EIT

Sem comentários:

Enviar um comentário