16 julho 2014

Sonho novo

Lá estavam, desde há já muito. Quer acreditem quer não, já a deprimir! "Mas quem?", perguntam vocês. Um velho e maçudo dicionário e uma folha de papel amachucada.
– Bem, parece que havemos de ficar aqui eternamente, já ninguém precisa de nós! – lamenta-se  a pobre folha.
– Há que ser paciente! Quando for ocasião seremos usados, como em tempos.
Assim passavam os seus longos dias... Sempre com o mesmo antiquado diálogo. Dias passados na prateleira sonhando um sonho novo. 

Liliana Macedo, 15 anos, Ovar
Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam


Sem comentários:

Enviar um comentário