21 julho 2014

Crime num dia de Verão

Tenho a certeza que deambulou sozinho, vereda fora, horas e horas. Tenho a certeza que não parou mesmo que o caminhar fosse cada vez mais arrastado. Tenho a certeza que se sentiu esquecido, deixado como velharia que não admite reciclagem. Tenho a certeza que estava prestes a sucumbir ao cansaço, à fome, à sede. Tenho a certeza que foi experimentando saudades reconstruídas... apesar de tudo.
Tenho a certeza porque lho vi nos olhos meigos de cão abandonado.

Maria José Castro, 54 anos, Azeitão

Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário