23 julho 2014

A mosca

A mosca perseguia-o, desde que tinha começado a sofrer de insónia; sempre cravada nas costas ou na testa. Decidiu fugir.
Pela vereda fora, a vegetação, cada vez mais densa, fechava-se contra o corpo, fazendo-o sentir uma espécie de asfixia. Deambulou sozinho, o caminho apertava-se, mas, esquecido do mal-estaralcançou a sua meta. A casa da árvore, que fizera em garoto, mantinha-se intacta!
Subiu, e experimentando saudades reconstruídas, sacudiu a mosca com determinação, fechou os olhos e adormeceu.

Regina Graça, 50 anos, Coimbra

Desafio nº 70 – frase de palavras obrigatórias 

Sem comentários:

Enviar um comentário