13 março 2014

Sofrida

Quando me vês na realidade, amor? Não me olhas a alma.
Quando percebes que o sofrimento fecha-me totalmente para a nossa vida.
Quando entenderás que a relação que construímos já não existe mais?
Quando sentirás a ausência auto-destruidora em que me encontro; onde estou.
Desejava ser outra e amar-te quando desejas. Dar-te o afecto ambicionado.   
Penso em nós, quando a tristeza mórbida surge, me assola, corrói.
Tento dizer-te que o nosso futuro próximo será de adeus: suicidar-me-ei.

Isabel Pinto, 47 anos, Setúbal

Desafio RS nº 11 – 7 frases de 11 palavras, sempre com uma palavra repetida

Sem comentários:

Enviar um comentário