23 março 2014

Pertença de mãe

Numa prateleira, cheia de pó, na estante da despensa, estavam um vaso com terra e uma semente.
Sentiam-se, tristes, abandonados.

– Quem és tu? Que fazes aqui?
– Eu sou uma sementinha ansiosa por nascer. Tenho fome, sinto frio, estou com medo. E tu quem és?
– Eu sou a terra, o ventre, que te há-de proteger e nutrir até que cresças  e partas.
– Não partirei! Não quero separar-me de ti!
– Partirás, sim! Nunca nenhum filho pertenceu a sua mãe!

Graça Palhares, 60 anos, V. N. Famalicão

Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam

Sem comentários:

Enviar um comentário