17 março 2014

Inquirições

Perguntas-me em tom coloquial qual a diferença entre mundo e universo;
Perguntas-me bastas vezes como pode haver tanta poesia num só verso;
Perguntas-me qual o braço direito de quem tem a mente diferente;
Perguntas-me com quantas estacas firmes se escora um certeiro rubro poente;
Perguntas-me porquê a guerra e não a compreensão que deveria prevalecer;
Perguntas-me dos infindos lamentos que a lassa justiça não quer ver;
Perguntas-me o que não sei, mas gostaria, para te poder responder...

Elisabeth Oliveira Janeiro, 69 anos, Lisboa

Desafio RS nº 11 – 7 frases de 11 palavras, sempre com uma palavra repetida

Sem comentários:

Enviar um comentário