23 março 2014

Finalmente, o sol

A primavera tinha chegado e entravam os primeiros raios de sol pelas frinchas das portadas de madeira envelhecida. O naperon, um artista especial que tinha desenhado na prateleira estrelas e flores de pó, respirava fundo.
– Finalmente está aí o sol e o calor!
– Mais uns dias e temos a criançada a correr à nossa volta e a deitar tudo abaixo – resmungou a terrina de loiça de Sacavém.
– Ai, que saudades de quando havia vida todo o ano!

Cláudia Mourato Fandango, 36 anos, Oeiras

Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam

Sem comentários:

Enviar um comentário