22 março 2014

Desamparado

Aquela fotografia jazia à anos na estante da sala, longínqua, desvanecida pelo tempo. Também o velho relógio de bolso, lá ia trabalhando por teimosia do dono.
Os dois esquecidos, herméticos no tempo, galgaram juntos  gerações.  Hoje companheiros de estante, relembram passados.
– Para aqui estou definhando, marcando o tempo em compassos distantes… e tu saudosa fotografia como tens conseguido  resistir ao tempo?
– Eu? Espelho os donos desta casa, relembrando para sempre, momentos de uma juventude à muito perdida.

Graça Pinto, 55 anos, Almada

Desafio nº 62 – dois objectos, numa prateleira cheia de pó, conversam

Sem comentários:

Enviar um comentário